Blog

terça-feira, 4 de junho de 2013

Quando as dificuldades são muitas, as conquistas se tornam ainda maiores


“O IME é muito maior do que pensamos que ele realmente é quando ainda somos estudantes, disputando por uma vaga. As salas de aula e os laboratórios são ímpares, temos contato com esse cenário desde o primeiro ano, com possibilidade de fazermos experimentos físicos. O convívio nos alojamentos, com pessoas de todo o território nacional, também amplia nosso conhecimento geral sobre a vida por conta de tantas diferenças culturais. Nesse momento, temos a oportunidade de enxergar que cada um que está ali tem algo parecido com você, seja em relação aos estudos seja na forma de pensar na vida.”
O relato acima é de João Felipe Aguiar Guimarães, que aos 19 anos cursa o IME com a certeza de que quer seguir carreira no Exército Brasileiro, “para contribuir com o avanço da ciência e da tecnologia em nosso país”, explica ele com a mesma convicção que o guiou ao longo dos anos de estudo, um período de grande dedicação de toda sua família para que ele pudesse conquistar esse sonho.
Morador da Ilha do Governador, João estudou no Colégio Paranapuã ao longo de 2010, o mesmo ano em que tentou sua primeira vaga no IME, foi nessa oportunidade em que conheceu o SEI: “Um dos diretores do SEI estava na prova do IME fazendo uma apresentação do curso, foi determinante para a minha decisão de fazer o curso tudo o que ele mostrou como diferencial”, lembra o estudante sobre o que o SEI oferecia em relação aos outros cursos que ele já havia pesquisado.
Até aí, João já tinha passado por muitas dificuldades, muitas vezes inerentes ao processo, mas a parte mais densa ainda estava por vir. Filho de uma família humilde, do subúrbio do Rio de Janeiro, o dinheiro que seria necessário investir nesse novo projeto não sobrava, ao final das contas familiar. O afinco com que o aluno sempre se dedicou aos estudos e os resultados que ele sempre conquistou, foram definitivos para que todos os envolvidos na história mobilizam-se com ele, para que pudesse dar mais esse passo.
João foi aprovado para uma bolsa no SEI, para as turmas IME/ITA, mesmo assim não seria o suficiente, o dinheiro não dava. Foi quando a mãe de João, Helena Cristina, buscou uma oportunidade de trabalho no curso e conseguiu. Com toda a família reunida em busca de um mesmo ideal puderam proporcionar ao João essa oportunidade.
Seria um momento difícil não só pelos estudos, com uma rotina diária puxada, mas pelo próprio lado emocional de toda a situação, já que João tinha aberto mão das vagas obtidas no vestibular daquele ano. Ele havia passado nas universidades federais e estaduais, e tinha garantido uma bolsa de estudos na PUC-RJ.
Não seria um ano fácil, todos sabiam, inclusive os professores que tiveram uma participação especial e determinante nas conquistas que estariam por vir: “Uma vez o João ficou desanimado, era por volta de outubro ou setembro. Estava nítido que o cansaço, a exaustão estavam contagiando meu filho, porque nessa época ele estudava de domingo a domingo. No domingo ele só não estudava das 15h às 21h pra poder descansar. Percebi que ele precisava de ajuda e pedi para um dos diretores conversar com ele. Vimos o resultado da conversa quando veio o simulado: ele foi o 2º colocado na classificação geral. Foi a verdadeira prova de superação! Foi uma guinada na vida dele”, lembra Helena, quando enfatiza a importância do envolvimento de todo o quadro de professores do curso, que se dedica não só ao cronograma de estudos, mas dando o verdadeiro apoio que o aluno precisa ao longo de todo o processo.
 E as conquistas vieram: “Passar no vestibular do IME é uma mistura de sensações. O ambiente em que é lido o resultado, no auditório do IME, proporciona um clima de tensão, o ar fica pesado, pois todos que estão ali estudaram o ano inteiro para a prova assim como você. A cada nome que aparece o coração vai batendo mais rápido, até que finalmente vem o seu nome no telão. Nesse momento fui tomado por uma sensação imensurável de felicidade, acompanhada da sensação de dever cumprido. Comemorar isso com a minha família e com meus amigos, que estavam comigo lá, foi melhor ainda”.
Muitas pessoas não precisam viver a metade dos sacrifícios ou passar por nenhuma das dificuldades financeiras de João, e de sua família, para realizar seus sonhos. Ainda assim, a conquista deles não será necessariamente fácil. Porque, simplesmente, existem as dificuldades do caminho, próprios do processo de estudo e de provas, que muitas vezes abate os alunos. Mas João, hoje, sabe o quanto toda sua dedicação foi recompensada e como cada um dos alunos que se dedica para conquistar uma oportunidade como essa têm toda possibilidade.
“Você que vai tentar uma vaga no IME/ITA já demonstrou que tem coragem para fazer a prova mais difícil do país. Mantenha esse foco e essa determinação ao longo do ano e durante a prova! Durante todo o curso, aprendi que por mais difícil e distante que um objetivo pareça, com trabalho duro, disciplina e determinação o objetivo pode ser alcançado. Momentos difíceis virão, passar por eles é que te ensina a não desistir”, são essas as palavras deste vencedor que ainda tem um caminho inteiro pela frente, com novos desafios, para os quais ele sempre estará se preparando para vencer.”

2 Comentários

  1. Jana Arruda
    jun 04, 2013 @ 21:27:37

    Parabéns para o João!! Com certeza é o sucesso já está garantido!!
    Parabéns a mamãe Helena Cristina pelo exemplo de força e determinação!!!
    SEI q a vitória é dos que acreditam nela e correm atrás!!!

    Comentar

  2. Stephanye Teles
    jun 08, 2013 @ 21:21:25

    'Nenhuma grande vitória é possível sem que tenha sido precedida de pequenas vitórias sobre nós mesmos.'Parabéns a essa família de guerreiros,que unida venceu cada dificuldade e empecilho, dia após dia sem perder a fé ,em nenhum momento, uns nos outros.É mais do que gratificante pode ter o prazer de conhecer essa história e os protagonistas dela.Agradeço muito a Tia Cris e ao João por todo apoio e toda diferença que fazem em nossas vidas ,todos os dias, lá no SEI. A Tia Cris com todo o carinho que nos recebe, e a João por dividir com tão boa vontade e seriedade sua sabedoria.Enfim, Parabéns pela vitória mais do que merecida e obrigada pelo exemplo de força e determinação!

    Comentar

Deixar um comentário

*